Para Beto Albuquerque, senador tem que defender o Estado

Aug 09 2018
(0) Comentários
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus

JORNAL NH – 04/8/2018 – O candidato do PSB ao Senado Federal, Beto Albuquerque, visitou na manhã desta sexta-feira (3), na companhia de correligionários e pré-candidato a deputado, o Jornal NH. Beto, que ocupa a vice-presidência nacional de Relações Governamentais do PSB e preside a Coordenação Socialista Latinoamericana, foi lançado ao Senado pela sigla em 2014. No entanto, a morte do então candidato à presidência Eduardo Campos fez que com o gaúcho, natural de Passo Fundo, montasse a chapa com Marina Silva.

Deputado estadual por duas vezes e deputado federal por quatro mandatos, ele defende que senador precisa defender o Estado e não a bandeira do seu partido ou ideologia. Para ilustrar a situação, o postulante ao Parlamento comenta que, das 80 vezes que o governador José Ivo Sartori foi a Brasília tratar da renegociação da dívida com a União, em nenhuma delas teve um senador ao seu lado.

“Precisamos de alguém que não canse rápido e que esteja presente no Senado, mas volte para o Rio Grande para saber o que se passa aqui. Os gaúchos precisam definir qual o perfil que desejam para esses oito anos”, salienta. Quando questionado que nota daria aos atuais representantes do Estado no Senado, Beto é taxativo. “Cinco”, fazendo uma clara crítica aos parlamentares.

O socialista tem como meta, caso eleito, atuar na renegociação da dívida gaúcha com o governo federal e no ressarcimento das perdas da Lei Kandir. “Esses dois problemas são a confissão da omissão do Senado”, arrebate. Além disso, Beto garante que vai defender a extensão da BR-448, Rodovia do Parque, até o município de Portão e utilização de 30% das reservas cambiais, avaliadas em R$ 400 bilhões, para a infraestrutura e segurança.

Na corrida pelo Piratini, o candidato vai apoiar a reeleição de Sartori (MDB) e na disputa pelo Planalto, provavelmente o escolhido deve ser Ciro Gomes (PDT). Para a suplência de sua vaga ele escolheu os nomes de Adriane Cerine e Daiane Dias. O PSB coligou com MDB, PSD, PR, PSC, Patriota, PRP, PTC e PMN.

Leia no site de origem clicando aqui.

Foto: Jackson Ciceri

Posts Relacionados